A cor e o espinho

A quarta-feira está muito cinza pra você aqui em São Paulo? Eis a cor: Anelis Assumpção nos dá a honra e o prazer de lançar o primeiro clipe de seu próximo disco, da faixa “Song to Rosa”! O vídeo, aquecido pelas tintas do graffiti de Paulo Ito, reafirma o estilo da diretora Ava Rocha (também responsável pela concepção do clipe alto astral de “Dia de Furar Onda no Mar” (som do Lucas Santtana): câmera solta e sagaz, takes longos, foco e desfoque artístico e uma descontração que confere leveza ao trabalho de montagem. As imagens vestem perfeitamente essa joinha esculpida na batida do ska jamaicano: introdução climática, adornos na maciota de trombone, harmonias de backing vocals classudas (que ela divide com as parceiras Céu e Thalma de Freitas sob a alcunha de Negresco Sis, mistura de timbres que azeita personalidade a cada nova gravação) e uma letra malandramente feminina — uma especialidade de Anelis, algo que já projetava um calor especial ao seu primeiro solo, “Sou Suspeita. Estou Sujeita. Não Sou Santa”. A faixa e o clipe instigam a expectativa por este segundo disco completão, “Amigos Imaginários”, que também está naquelas de “antes ou depois da Copa”. Quando for, será a boa hora. Letra, ficha técnica e clipe logo abaixo!

Song to Rosa (Anelis Assumpção)

Rosa é uma mulher que sabe o que quer
Ela casou e no dia da festa ela foi ao cinema
Ela não podia perder a sessão maldita
Nem tampouco perder a chance de provocar
Pois seu compromisso mesmo era com a vida
E foi aos trancos que ela se fez acreditar
Rosa fugiu da polícia
Rebolou na pista
Se aculturou, chorou
Viveu a morte enquanto gerava uma vida
Sofreu por amor
Cresceu, secou
Regou o jardim, brotou, brotou
E como a flor se defendeu em espinhos
Ela sabe o que quer
E assim como eu, é uma mulher
Mas se deus quiser
Quando eu crescer, eu vou ser
Uma rosa
Ela não sabe o que quer
Assim como eu ou outra mulher
Mas quando eu crescer
Se deus quiser, eu vou ser uma Rosa
FICHA TÉCNICA
Bruno Buarque – Bateria
MAU – Baixo
Lelena Anhaia – Guitarra e Baixo Acústico
Zé Nigro – Voz, Guitarra e Orgão
Edy Trombone – Trombone
Thalma de Freitas – Voz e vocal
Anelis – Voz e Vocal
Céu – Vocal
Victor Rice – Mixagem
Arranjo de metais: Edy Trombone, Zé Nigro e Anelis