OPS (2008 – 2012)

 

Isso é muito estranho. Nosso parceiro na web, o blog Original Pinheiros Style, saiu do ar. Não por vontade própria ou livre iniciativa: o blogger simplesmente baniu o OPS após algumas notificações devido, claro, a natureza da página de oferecer download gratuito para seus visitantes. Era uma referência. Para os internautas ávidos por novidades, raridades ou clássicos de jazz, soul, afrobeat, reggae e rap, aquele era um dos endereços preferidos. A RU está de luto. E fica uma questão no ar: até quando as gravadoras vão se importar com os downloads ditos “ilegais” e pisotear no trabalho voluntário e sem fins lucrativos de um blog do bem como OPS — que, aliás, nada mais fazia do que divulgar produtos de relevância artística da tal da indústria fonográfica?

O criador do blog, nosso colaborador Pedro Pinhel, recapitulou os acontecimentos apenas para esclarecer o ocorrido e propor uma reflexão sobre a questão do download. Fala, mano:

“Sempre recebi avisos esporádicos pra posts especificos, isso já rola há muitos anos. Ultimamente o cerco começou a ficar maior e as notificações mais constantes — sempre do blogger e sempre avisando que ‘tinha recebido reclamações sobre o post xyz’. No dia que recebi o email deles sobre a saída do blog do ar, de manhã, mais de 20 pessoas me escreveram e se manifestaram dizendo que tal e tal post estava fora do ar. Um recorde. Achei estranho e fui fazer uns testes; TODOS os posts via mediafire (site que eu usava pra fazer os links) estavam com os links indisponíveis. Me liguei e achei que o lance era (só) o mediafire; alguem rastreou meus 2 IPs (o de casa e o do trabalho) e bloqueou meu uso do mediafire (meus links estavam indisponiveis pra mim na pagina do mediafire, coisa que nunca tinha acontecido).
Decidi ir em frente (ao invés de fazer um simples backup e segurar minha onda) e fiz um post no mesmo dia, via Zshare. Obviamente, estavam esperando por isso. Tiraram o blog do ar em questão de minutos. O email foi taxativo e não deu tempo para que eu fizesse backup. A grande questão é, nesse caso, tirar o blog do ar, mesmo sabendo que o numero de acessos diários era benéfico ao blogger, é a decisão certa? Por que não indisponibilizar na rede, mas deixar uma versão beta comigo, para que eu pudesse armazenar o conteúdo? São 4 anos e mais de 1500 posts, cara!”

Melancolia à parte, é bom realçar que o OPS não acabou. Vai voltar, em breve ou quando der, numa versão mais classuda — como, aliás, já havia acontecido com o essencial Só Pedrada, do Daniel Tamempi. Mas que é assustadora essa intrasigência cibernética, isso é.

Ilustração: Maria Valentina

6 comments

  1. Rodrigo

    Sou um dos órfãos do OPS. Descobri muita música boa por ali. Discos que eu não compraria nunca, trabalhos de artistas que agora conheço por causa do blog. Retirá-lo do ar é fechar acesso à arte e ao conhecimento. Triste.

  2. Bad trip mesmo, sou fã e frequentador do OPS… não sei nem o que falar quando me deparo com uma situação dessa, como a imbecilidade impera na mente dessa gente. É um passo pra frente e dez pra trás. Sad but true! OPS, volte logo!

  3. Alberto

    O blog era um prazer diário. Mas vou deixar entre meus favoritos, só pra não esquecer que a internet não pode ser controlada. Assim espero.
    Grande abraço ao Pedro.

  4. Cara, eu ouço o Pedro Pinhel desde que ele fazia dupla no podcast da radiolaurbana com o Ramiro, sou fanzaco do trampo dele e fazia um tempo que nao visitava o blog, dai hj resolvi fazer a busca e descobri isto, é uma pena, De qualquer maneira foi excelente a quantidade de coisa nova ( ou velha ) que conheci que me apaixonei e tenho no meu IPOD até hj, Gostaria de mandar um abração pro Pedro e pro pessoal da revista urbana que fazem da arte algo a ser compartilhado e eternizado na internet! Um forte abraço

Deixe uma resposta para joao paulo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *